Pages

10 de out de 2011

Vigilantes do Peso

Resolvi desenterrar meu programa dos Vigilantes do Peso. É um programa que realmente dá certo, porque é baseado na reeducação alimentar, mas como todo programa de emagrecimento, é necessário perseverança.

A ficha caiu pesado, fazendo estrondo mesmo, quando me pesei neste domingo, pela manhã: 88,100 kg, minha maior marca. Nunca estive tão gorda em toda minha vida. Levei um susto! Fiquei admirada de ainda estar cabendo dentro da minha calça jeans. Não consigo nem dizer o nº direito, pois fui recentemente aos EUA e trouxe calças de lá, mas estou usando numeração 14, que aqui no Brasil acredito ser equivalente ao 46.

O tempo de ficar chorando pelos cantos porque está gorda e não vai conseguir emagrecer, ou que vai ter o maior sacrifício para emagrecer para logo em seguida engordar com a gravidez, acabou. Se não fiz por onde antes, a culpa é toda minha. E só posso contar com uma pessoa no momento para fazer algo por mim: EU (e Deus, obviamente).

Bjos da gorda! Smack!


3 comentários:

  1. Olá querida, obrigada pelo carinho, adoro ser mãe e senti que era o momento de dar um irmãozinho ao meu filho, quanto ao peso estou na mesma asinha que vc 88,6, torça por mim!!!
    Beijossss

    ResponderExcluir
  2. Bom, com lágrimas nos olhos não dá pra ver o caminho direito, né?

    Melhor levantar a bunda do sofá e começar qualquer coisinha do que ficar se lamentando.

    Uma vez tendo começado alguma coisa, é mais fácil ajustar algum detalhe durante o percurso.

    Força aí, e lembre-se que na gravidez não se engorda (se vc não engordar!), se obtem o peso necessário pra carregar outro serzinho dentro de você. E com o parto e algum tempinho, seu corpo volta ao que era.

    (afinal, tem um monte de mulher que consegue, sendo assim, não é impossível)

    ResponderExcluir
  3. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Alma de poesia. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Free Blog Template by June Lily
Real Time Analytics