Pages

18 de fev de 2012

Sobre filhos e sonhos

Não quero aqui convencer ninguém, apenas expressar meu ponto de vista sobre uma questão que vi no blog da Gordinha da Silva e da Denny e que, pela polêmica, controvérsias e complexidade, resolvi que merecia um post. Então, o que vou escrever aqui, é tão somente minha humilde opinião, que, lógico, pode não servir para você, haha.

Filhos: tê-los ou não tê-los? E o tal reloginho biológico, nos avisando que chegou a hora, existe mesmo?

O que eu penso: o ser humano, apesar de racional, é um ser vivo como os outros, que carrega consigo toda sua carga biológica e necessidades fisiológicas. Então, eu acredito que, mais cedo ou mais tarde, a necessidade de "procriar" é despertada em todo ser humano, por razões biológicas - a tal da manutenção da espécie, rs. Só que, como seres racionais que somos, temos o poder de perceber esse instinto e agir contra ele, isto é, "brecar". E por qual motivo faríamos isso? As razões são muitas, como a Gô expôs muito bem.

E é aí que preciso admitir uma coisa: o tal relógio biologico já soou pra mim? Já. Quero ter filhos? Muito. Porém, admito que por vezes já passou pela minha cabeça o pensamento: "e se eu agisse contra a natureza?". Pois é, contraditória a pessoa aqui, né? Mas isso tem nome: MEDO.

Vou ser franca: tenho que admitir que, mesmo querendo muito ser mãe, tenho medo. De que? De tudo aquilo que a Gordinha falou, e outras coisitas mais. Medo de não ter tempo para cuidar do meu filho, de não ter dinheiro para sustentá-lo, de perder minha liberdade, de não conseguir conciliar os papéis de mãe-mulher-profissional, de não conseguir dar uma boa educação, de ter um filho com problemas (e esse medo aumenta mais ainda com o avançar da idade e com meus problemas de saúde), de investir num filho que pode morrer ou me abandonar na velhice... enfim, o pensamento voa, e voa alto!!! E aí vou adiando meus planos maternais...

Porém, diante de tantos medos/desvantagens, eu ainda continuo, desesperadamente, querendo ter um filho. Um não, dois. Idealmente, três - mas sei que provavelmente não terei condições $$$ para isso. Por que??? Não, não é só relógio biológico não... Porque esse, se a gente quiser, conseguimos tapear direitinho. É vocação também. Ah, não precisa me dizer: "pra você é fácil, porque você gosta de criança!", porque isso não é 100% verdade. Eu gosto de criança sim, mas não 100% do tempo. Tem hora que não tenho saco e pronto.

Os posts da Denny e da Gordinha me fizeram refletir sobre os motivos pelos quais almejo ter um filho. E cheguei à seguinte conclusão: primeiro, gosto de estar em família, e penso que uma família só é completa com filhos por perto. E da mesma forma que meus pais fizeram comigo, isto é, a convivência gostosa, os ensinamentos, etc., também quero poder fazer com alguém - e quem seria esse alguém se não fosse um filho? Acho que um filho dá mais sentido à vida da gente. E sei lá, ver a família crescer (olha o instinto aí de novo, kkkk) deve ser muito bom! Reunir a família, passear, conversar, morrer de rir, fazer uma criança feliz e receber dela amor e carinho sinceros, acho que não tem preço! E, mesmo depois, quando essa criança virar um rapaz, será um companheiro para toda a vida. Obviamente, o desafio é saber educá-lo, mas acho que o "monstro" deve ser menor do que o que vemos agora... Acho que filhos são bênção de Deus, e quanto às adversidades... Ele nos capacita!

E é isso! Enquanto meu relógio bate as badaladas dele, eu vou dando mais corda aqui, pois ainda não me sinto preparada... mas minha hora vai chegar, eu sei que vai! Espero que não demore... estou vencendo meus medos e obstáculos reais dia após dia. Um dia vai!

6 comentários:

  1. Oi Vivi, eu concordo com seu post. Nao li das outras meninas ainda, mas lerei. Eu tenho 33 anos e meu despertador biologico feminino ja despertou. Mas, eu e meu marido temos medo de perder nossa liberdade, de nao ter $$$ para pagar uma boa escola, educacao, saude, de ter uma criancas doente ou deficiente, da crianca ficar adulta e matar os pais ou abandonar num azilo. Mas e claro que sempre tera gente por ai que dira, voce esta sendo egoista pensando assim, como e que pode pensar so no seu umbigo?

    Sera que planejar e pensar no amanha e ser egoista? hummm, nao sei... Na verdade sou do tipo de pessoa que planejo o proximo passo e sei que um filho saudavel ou nao custa caro, mas nao necessariamente que nao terei. Acho que as mulheres hoje em dia cada vez mais estao pensando nisso. Beijokas

    ResponderExcluir
  2. Excelente post!

    Porque mesmo com toda essa vontade doida que tenho sentido de ser mãe, tenho todos esses medos aí. E quanto mas convivo com crianças mal educadas, mais medo tenho de não saber educar. Tb tem a questão do dinheiro, da liberdade.

    Mas acho que a vida tbm não é só viver pra gente mesmo e ponto. Só que esse sentimento é difícil de entender.

    Um dia quero demais. No outro morro de medo e não sei se vou dar conta. Ainda não posso ter esse filho que quero, então vamos vendo como anda a carruagem.

    Mas acredito muito no que vc escreveu: Deus capacita.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. oi vivi, achei seu blog em uma busca por imagens do vp, eu tenho um blog também anaficamagrinha.blogspot.com,
    estou emagrecendo justamente para tentar ser mamãe... estou muito acima do peso e minha me´dica quer que eu chegue pelo menos nos 80Kg.
    beijos aguardo sua visita

    ResponderExcluir
  4. Eu tive os meus filhos assim que me deu uma vontade enorme de os ter, talvez seja isso o relógio biológico. Agora para o 3º ando a pensar se devo, se não devo, se há crise, se tenho tempo, se é bom, tanta coisa que não me decido. Tenho esperança que me dê outra vez uma vontade de ter um bebé em casa e me decida :)

    ResponderExcluir
  5. Seu post ficou lindo. (não como o meu, que saio xingando todo mundo =P)

    Mas, dizer que quer ter um filho já apazigua os leitores, porque isso é o normal.

    O que mais me revoltou, com essa história toda de filhos, é eu não poder não querer, pura e simplesmente.

    E, a respeito do relógio biológico, eu concordo plenamente com você. A gente sente fome de tudo o que é gostoso, nem por isso saimos comendo tudo. Somos racionais e a racionalidade sim deveria nortear uma decisão tão delicada quando.

    Me entristece muito a quantidade de mulheres que hoje "sentem um forte desejo de ser mãe" só pela pressão social que existe sim. Pela pressão mercadológica (vide comercial do omo). Mulheres que não pensam e não pesam as conscequências de se colocar uma nova pessoa no mundo, só pelo "forte desejo" de ter uma bonequinha que fala.

    Veja, quero deixar claro que não estou falando de você. Você se mostrou racional e ponderada o suficiente. E tenho certeza que se você tiver seu filho (ou filhos) você vai dar limite e vai educar direito. Não vai colocar mais um mimadinho no mundo.

    Gostei muito de ler seu post, porque eu queria mesmo que alguém conversasse comigo sobre isso. As pessoas vieram me deixar comentários falando "você é egoísta" ou "não concordo e ponto", mas difícil foi a pessoa que se abriu para conversar sobre isso.

    Passei o carnaval fazendo serviço de pintor, então só estou voltando pra "realidade" agora. Desculpe não ter respondido antes.

    ResponderExcluir
  6. É uma decisão muito pessoal, mas eu tenho certeza que mais da metade dos pais nem deveriam ter tido filhos! São pessoas sem nenhuma condição de serem bons pais. Ter filho não é só colocar gente no mundo. É tanta gente sofrendo, na miséria, sem educação, sem limites, etc. Muito triste!

    ResponderExcluir

Free Blog Template by June Lily
Real Time Analytics